Pregações do Padre Léo

Pregações do Padre Léo

Produtos Exclusivos

Biografia

1961: nascimento no Biguá

Tarcísio Gonçalves Pereira (padre Léo) nasceu em 9 de outubro de 1961, às 17h, na casa de seus avós maternos, na colônia agrícola do Biguá, em Delfim Moreira (MG). Foi o nono filho do casal de agricultores Joaquim Mendes Pereira (seu Quinzinho) e Maria de Nazaré Guimarães (dona Nazaré), que completavam 10 anos de casados nesse dia. Foi batizado com apenas três dias de vida, em 12 de outubro, festa de Nossa Senhora Aparecida. 

1970: catequese

Nesse ano, começou a catequese. No quintal da casa onde morava, no Biguá, costumava brincar de celebrar missa com os primos e os irmãos (saiba mais sobre a infância de padre Léo aqui). Quase um ano depois, fez a Primeira Comunhão, na Igreja de São Benedito, no Biguá.  

1973: a mudança para Itajubá

Mudou-se para Itajubá (MG) e passou a morar na casa dos avós maternos. Participou de encontros da Renovação Carismática com padre Jonas Abib, fundador da Comunidade Canção Nova. Aos 16 anos, começou a trabalhar, como aprendiz, em uma empresa que prestava serviços na área de metalurgia. Durante os estudos no curso profissionalizante de Torneiro Mecânico no Senai, iniciou um grupo de oração na própria escola, grupo onde recebeu o pseudônimo de Léo. Também em Itajubá Léo iniciou o consumo de drogas. 

 

1981: a decisão pelo sacerdócio

 Um ano marcante: a decisão pela vocação sacerdotal. Os primeiros a saber da notícia foram seus pais e irmãos. Ele terminou o namoro com a noiva, pediu demissão da fábrica onde trabalhava e parou com o consumo de drogas. O cigarro, no entanto, só cessaria de vez em 1998. 

1984: Congregação do Sagrado Coração de Jesus

Começou a estudar filosofia em Brusque (SC) e, em 24 de fevereiro, fez a primeira profissão dos votos religiosos na Congregação do Sagrado Coração de Jesus, passando a ser chamado de fráter Léo. Nos anos seguintes, simultaneamente aos estudos, ampliou sua atuação na Renovação Carismática Católica como pregador de retiros e seguiu atuando em grupos de oração. Em 1987, iniciou o curso de Teologia em Taubaté (SP), na Faculdade Dehoniana, e publicou seu primeiro livro – “Contatos Mediatos e Imediatos de Frei Leão”.

1990: ordenação sacerdotal

Em 24 de fevereiro, professou os votos perpétuos na Congregação do Sagrado Coração de Jesus. A ordenação sacerdotal foi em 8 de dezembro, na Matriz Nossa Senhora da Soledade em Itajubá (MG). Nesse mesmo dia, foi ao Biguá, sua terra natal, para celebrar sua primeira Missa.

1991: missão em Brusque (SC)

Já como sacerdote, assumiu a direção pedagógica do Colégio São Luiz, em Busque (SC), onde um ano mais tarde, em 1992, construiu a Capela do Espírito Santo. Também nesse colégio, ele começou a atender jovens marginalizados.

1995: Comunidade Bethânia

O grande legado de padre Léo: a Comunidade Bethânia, idealizada pelo sacerdote para o trabalho de acolhimento a jovens dependentes químicos e marginalizados. Em 14 de março desse ano, padre Léo fundou a Comunidade. A Missa inaugural foi celebrada no dia 12 de outubro. A inauguração do Recanto São João Batista (SC), a Casa Mãe, foi realizada no ano seguinte, quando a comunidade recebeu seus primeiros filhos.

1998: padre Léo e a Canção Nova

Padre Léo começou com programas de TV na TV Canção Nova: primeiro, “Seja Feliz a Cada Dia” e depois “A Tenda do Senhor” (na foto acima). Também nesse ano, ele abandonou definitivamente o vício do cigarro. No ano seguinte, a primeira pregação de padre Léo na Canção Nova, realizada no Acampamento PHN: “Os Caixotes das Drogas” (junho de 1999).

2002: história com a música

Padre Léo lançou seu primeiro CD – “Cantando a Vida”, pelo selo Canção Nova

2006: "Buscai as Coisas do Alto"

Esse foi o ano em que padre Léo descobriu um câncer no sistema linfático. Em dezembro, mesmo bastante debilitado pela doença, não deixou de participar do acampamento Hosana Brasil, da Comunidade Canção Nova. Foi nesse evento que fez sua última pregação, em 9 de dezembro de 2006, intitulada Buscai as coisas do alto. Ele retornaria à Comunidade pela última vez em 21 de dezembro, para celebrar o aniversário de Monsenhor Jonas Abib.

2007: fim da luta contra o câncer

Após uma intensa luta contra o câncer, padre Léo morreu em 4 de janeiro de 2007, aos 45 anos, no Hospital das Clínicas, em São Paulo. Seu velório aconteceu na sede da Comunidade Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), e seu sepultamento ocorreu em 6 de janeiro em Itajubá (MG), após Missa de corpo presente na Matriz Nossa Senhora da Soledade.

2017: o processo de beatificação

Dez anos após o falecimento, em outubro de 2017 o desejo de abrir o processo de beatificação de padre Léo começou a tomar forma. Padres da Comunidade Bethânia apresentaram esse intuito ao arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Jönck, que aprovou o pedido. O próximo passo era enviar a solicitação ao Vaticano.

2019: o anúncio da data

Após o recebimento do “nada consta” por parte do Vaticano, em 8 de dezembro de 2019, data em que padre Léo completaria 29 anos de sacerdócio, foi anunciada a data de abertura do seu processo de beatificação: 7 de março de 2020. O anúncio oficial foi feito durante o Hosana Brasil, na sede da Canção Nova.

2020: o início do processo de beatificação

A Missa de abertura do processo de beatificação de padre Léo será realizada em 7 de março no recanto São João Batista (SC), o primeiro recanto da Comunidade Bethânia. Terá início, então, a fase diocesana do processo

Vinheta

Processo de beatificação

O processo de beatificação de Padre Léo será aberto no dia 7 de março de 2020, às 16h, em celebração presidida pelo arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, no recanto da Comunidade Bethânia na cidade de São João Batista (SC). Com a abertura, ele será elevado a Servo de Deus. O Instituto Padre Léo, comandado pelo vice-presidente da Comunidade Bethânia, padre Lúcio Tardivo, cuidará dos testemunhos dos milagres, ficando responsável também por encaminhá-los ao processo de beatificação.

Os testemunhos devem ser enviados para: testemunhos@padreleo.com.br

Para ajudar com os custos do processo, podem ser feitas doações para a seguinte conta:

Banco do Brasil
Agência: 2629-8
Conta: 38806-8
CNPJ: 31.576.826/0001-27